Consultoria Financeira


No âmbito da Consultoria Financeira, o nosso principal objetivo é fornecer informação prática e útil a cada um dos nossos clientes, que lhes permita elevar a sua competitividade e promover o seu crescimento sustentado.

Na Solução Mais valorizamos e dinamizamos o espírito empreendedor, incentivamos a criatividade e a inovação, transformamos ideias em negócios, ajudamos os nossos clientes a detetar e aproveitar ameaças e oportunidades.

Elaboração de Candidaturas a projectos co-financiados

Solicite mais informações

Novo quadro comunitário 2014-2020
Portugal 2020

Trata-se do Acordo de Parceria adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 fundos estruturais e de Investimento Europeus (FEDER, Fundo de Coesão, FSE,FEADER e FEAMP) no qual se definem os princípios de programação que consagram a política de desenvolvimento económico, social e territorial para promover, em Portugal, entre 2014 e 2020.

Estes princípios de programação estão alinhados com o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo, prosseguindo a Estratégia Europa 2020.

Portugal vai receber 25 mil milhões de euros até 2020, para tal definiu os objetivos temáticos para estimular o crescimento e a criação de emprego, as intervenções necessárias para os concretizar e as realizações e os resultados esperados com estes financiamentos.

Inovação Produtiva - Apoios ao investimento empresarial inovador

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos: Apoio a investimento produtivo, de natureza inovadora, ao nível de produto, de processo ou organizacional, por parte das PME, que se traduzam na criação e reforço de capacidades de produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis.

Tipologias:

  • A criação de um novo estabelecimento;
  • O aumento da capacidade de um estabelecimento já existente, devendo esse aumento corresponder no mínimo a 20% da capacidade instalada em relação ao ano pré projeto;
  • A diversificação da produção de um estabelecimento para produtos não produzidos anteriormente no estabelecimento, sendo que os custos elegíveis devem exceder em, pelo menos, 200% o valor contabilístico dos ativos que são reutilizados, tal como registado no exercício fiscal correspondente ao ano pré-projeto;
  • A alteração fundamental do processo global de produção de um estabelecimento existente, sendo que os custos elegíveis devem exceder a amortização e depreciação dos ativos associados à atividade a modernizar no decurso dos três exercícios fiscais precedentes (2011, 2012 e 2013).

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em atividades económicas, com especial incidência para aquelas que visam a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou contribuam para a cadeia de valor dos mesmos e não digam respeito a serviços de interesse económico geral.

Despesas Elegíveis:

  • Ativos corpóreos constituídos por:
    i) Custos de aquisição de máquinas e equipamentos, custos diretamente atribuíveis para os colocar na localização e condições necessárias para os mesmos serem capazes de funcionar;
    ii) Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo o software necessário ao seu funcionamento.
  • b) Ativos incorpóreos constituídos por:
    i) Transferência de tecnologia através da aquisição de direitos de patentes, nacionais e internacionais;
    ii) Licenças, «saber-fazer» ou conhecimentos técnicos não protegidos por patente;
    iii) Software standard ou desenvolvido especificamente para determinado fim.
  • c) Outras despesas de investimento, até ao limite de 20%:
    i) Despesas com a intervenção de técnicos oficiais de contas ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento, até ao limite de 5.000 euros;
    ii) Serviços de engenharia relacionados com a implementação do projeto;
    iii) Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia, associados ao projeto de investimento.

Os projetos dos setores do turismo e da indústria, podem incluir como despesas elegíveis, a construção de edifícios, obras de remodelação e outras construções, em casos devidamente justificados no âmbito da atividade do projeto, desde que adquiridos a terceiros não relacionados com o adquirente, e limitadas a um máximo de:

Para projetos localizados nas NUTS II Norte, Centro e Alentejo aplicam-se os seguintes limites:

  • a) 60% das despesas elegíveis totais do projeto no caso dos projetos do setor do turismo;
  • b) 35% das despesas elegíveis totais do projeto no caso dos projetos do setor da indústria.

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto é de 75 mil euros.

O limite máximo de despesa elegível total por projeto é de 25 milhões euros.

Formas e limites dos apoios:

Os apoios a conceder no âmbito deste projeto revestem a forma de incentivo reembolsável, sendo que pode ser concedida uma isenção de reembolso de uma parcela do incentivo reembolsável até ao limite máximo de 50%, em função do grau de superação das metas que o candidato estabeleça, em sede de formulário de candidatura. Os incentivos a conceder no âmbito desta candidatura são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa base de 35%, que pode chegar a um máximo de 75% em função das majorações previstas.

Medida LEADER

Objetivos:

O Desenvolvimento Local de Base Comunitária, conhecido como abordagem LEADER no caso do FEADER, é uma forma de abordagem de desenvolvimento territorial integrado apoiada por um ou vários instrumentos políticos programados que financiam a execução das Estratégias de Desenvolvimento Local (EDL) selecionadas e que pode ser financiada pelos vários Fundos Europeus Estruturais e de Investimento através dos respetivos Programas Operacionais.

As EDL correspondem a estratégias integradas e multissetoriais de desenvolvimento local, promovidas pelas comunidades locais, através dos grupos de ação local (GAL) que são parcerias compostas por representantes dos interesses socioeconómicos locais, públicos e privados e incidindo em territórios sub-regionais específicos tendo em conta as necessidades e potencialidades locais, a ligação em rede e a cooperação.

Principais prioridades do Desenvolvimento Rural alvo de apoio do FEADER às EDL:

Prioridade 2 - reforçar a viabilidade das explorações agrícolas e a competitividade de todos os tipos de agricultura em todas as regiões e incentivar as tecnologias agrícolas inovadoras e a gestão sustentável das florestas, no seguinte domínio: (a) melhoria do desempenho económico de todas as explorações agrícolas e facilitação da restruturação e modernização das explorações agrícolas, tendo em vista nomeadamente aumentar a participação no mercado e a orientação para esse mesmo mercado, assim como a diversificação agrícola;

Prioridade 3 - promover a organização das cadeias alimentares, nomeadamente no que diz respeito à transformação e à comercialização de produtos agrícolas, o bemestar animal e a gestão de riscos na agricultura, no seguinte domínio: (a) aumento da competitividade dos produtores primários mediante a sua melhor integração na cadeia agroalimentar através de sistemas de qualidade, do acrescento de valor aos produtos agrícolas, da promoção em mercados locais e circuitos de abastecimento curtos, dos agrupamentos e organizações de produtores e das organizações interprofissionais;

Prioridade 6 - promover a inclusão social, a redução da pobreza e o desenvolvimento económico das zonas rurais, no seguinte domínio: (a) facilitação da diversificação, da criação e do desenvolvimento das pequenas empresas e da criação de empregos; (b) fomento do desenvolvimento local nas zonas rurais;

SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO (SI2E)

Previsão de abertura: 14 de Abril 2017.

Objetivos:

Apoios diretos à criação, expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos, bem como à expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há mais de cinco anos. O SI2E contará com 320 milhões de Euros e prevê a aplicação de majorações a investimentos realizados em territórios de baixa densidade, tendo em vista uma maior dinâmica das micro e pequenas empresas do interior.

Quem é apoiado::

Micro e pequenas empresas

O que é apoiado:

Investimentos até 100,000 € nos grupos de ação local (GAL)

Criação líquida de postos de trabalho

Investimentos em máquinas e equipamentos, informática, marcas, planos de marketing e pequenas obras de remodelação

Apoios:

Subsídio entre 30% e 50% do investimento (60% para territórios baixa densidade)

Apoio por posto de trabalho criado: até 15 meses (ou 18 meses para territórios baixa densidade). Limite por mês: 1 IAS.

Para mais informações, não hesitem em contactar-nos: geral@solucaomais.pt

EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO E CRIATIVO

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos:

O objetivo especifico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos de Empreendedorismo Qualificado e Criativo que contribuam para a promoção do espírito empresarial facilitando nomeadamente o apoio à exploração económica de novas ideias e incentivando a criação de novas empresas.

Tipologias:

  • A criação de empresas que desenvolvam atividades em setores com fortes dinâmicas de crescimento, incluindo as integradas em indústrias criativas e culturais e/ou setores com maior intensidade de tecnologia e conhecimento;
  • A criação de empresas que valorizem a aplicação de resultados de I&D na produção de novos bens e serviços;

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em atividades económicas, com especial incidência para aquelas que visam a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou contribuam para a cadeia de valor dos mesmos e não digam respeito a serviços de interesse económico geral.

Despesas Elegíveis:

  • Ativos corpóreos constituídos por:
    i) Custos de aquisição de máquinas e equipamentos, custos diretamente atribuíveis para os colocar na localização e condições necessárias para os mesmos serem capazes de funcionar;
    ii) Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo o software necessário ao seu funcionamento.
  • Ativos incorpóreos constituídos por:
    i) Transferência de tecnologia através da aquisição de direitos de patentes, nacionais e internacionais;
    ii) Licenças, «saber-fazer» ou conhecimentos técnicos não protegidos por patente;
    iii) Software standard ou desenvolvido especificamente para determinado fim.
  • Outras despesas de investimento, até ao limite de 20%:
    i) Despesas com a intervenção de técnicos oficiais de contas ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento, até ao limite de 5.000 euros;
    ii) Serviços de engenharia relacionados com a implementação do projeto;
    iii) Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia, associados ao projeto de investimento.

Os projetos dos setores do turismo e da indústria, podem incluir como despesas elegíveis, a construção de edifícios, obras de remodelação e outras construções, em casos devidamente justificados no âmbito da atividade do projeto, desde que adquiridos a terceiros não relacionados com o adquirente, e limitadas a um máximo de:

Para projetos localizados nas NUTS II Norte, Centro e Alentejo aplicam-se os seguintes limites:

  • a) 60% das despesas elegíveis totais do projeto no caso dos projetos do setor do turismo;
  • b) 35% das despesas elegíveis totais do projeto no caso dos projetos do setor da indústria.

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto é de 50 mil euros.

O limite máximo de despesa elegível total por projeto é de 3 milhões euros.

Formas e limites dos apoios:

Os apoios a conceder no âmbito deste projeto revestem a forma de incentivo reembolsável, sendo que pode ser concedida uma isenção de reembolso de uma parcela do incentivo reembolsável até ao limite máximo de 50%, em função do grau de superação das metas que o candidato estabeleça, em sede de formulário de candidatura. Os incentivos a conceder no âmbito desta candidatura são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa base de 35%, que pode chegar a um máximo de 75% em função das majorações previstas.

VALE EMPREENDEDORISMO

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos:

O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios a projetos simplificados de empresas com menos de 2 anos na área do empreendedorismo.

Tipologias:

São suscetíveis de apoio os projetos individuais de aquisição de serviços de consultoria na área do empreendedorismo imprescindíveis ao arranque das empresas, nomeadamente a elaboração de planos de negócios, bem como serviços de consultoria na área da economia digital. Valorizam-se os projetos em setores de alta e média-alta tecnologia e em bens e serviços intensivos em conhecimento.

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em todas as atividades económicas, com prioridade para empresas inseridas em setores de alta e média-alta tecnologia e em bens e serviços intensivos em conhecimento.

Critérios de Elegibilidade:

No que respeita ao vale empreendedorismo, para além dos critérios referidos anteriormente, constituem ainda critérios de elegibilidade dos beneficiários os seguintes:

  • Possuir situação líquida positiva;
  • Não ter projetos aprovados nas prioridades de investimento – Inovação Produtiva ou Empreendorismo Qualificado e Criativo;
  • Corresponder a uma empresa criada há menos de dois anos.
  • Resultarem de aquisições a entidades acreditadas para a prestação do serviço em causa, não sendo admitida a subcontratação de outras entidades.

Os projetos que cumpram com os critérios de elegibilidade referidos, são em primeiro lugar ordenados tendo em consideração as empresas inseridas em setores de alta e média-alta tecnologia e em bens e serviços intensivos em conhecimento, e, seguidamente, por data (dia/hora/minuto/segundo) da entrada de candidatura, sendo selecionados até ao limite orçamental definido. Em caso de igualdade, a seleção das candidaturas é efetuada com base na criação líquida de postos de trabalho.

O limite máximo de despesa elegível total por projeto é de 20 mil euros.

Formas e limites dos apoios:

Os incentivos a conceder no âmbito deste Aviso são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa de 75%. Os apoios a conceder no âmbito deste Aviso revestem a forma de incentivo não reembolsável.

PROGRAMAS PROMOVIDOS PELO IEFP

Apoios à criação do próprio emprego

Apoios à Criação do Próprio Emprego por Beneficiários de Prestações de Desemprego - medida no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego, que consiste na atribuição de apoios a projetos de emprego promovidos por beneficiários das prestações de desemprego, através da antecipação das prestações de desemprego, desde que os mesmos assegurem o emprego, a tempo inteiro, dos promotores subsidiados.

Investe jovem

Programa destinado a promover a criação de empresas por jovens desempregados, através das seguintes modalidades de apoio:

  • Apoio financeiro ao investimento
  • Apoio financeiro à criação do próprio emprego dos promotores

Apoios à Criação de Empresas

Medida no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego, que consiste na atribuição de apoios a projetos de criação de empresas de pequena dimensão com fins lucrativos, incluindo cooperativas, através do acesso a linhas de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro concedido por instituições bancárias.

Internacionalização das PME

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos:

O objetivo deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos que reforcem a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, com vista a promover o aumento das exportações através do desenvolvimento e aplicação de novos modelos empresariais e de processos de qualificação das PME para a internacionalização, valorizando os fatores imateriais da competitividade, permitindo potenciar o aumento da sua base e capacidade exportadora.

Tipologias:

São suscetíveis de apoio os projetos individuais de internacionalização que visem os seguintes domínios:

  • O conhecimento de mercados externos;
  • A presença na web, através da economia digital;
  • O desenvolvimento e promoção internacional de marcas;
  • A prospeção e presença em mercados internacionais;
  • O marketing internacional;
  • A introdução de novo método de organização nas práticas comerciais ou nas relações externas;
  • As certificações específicas para os mercados externos.

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em atividades económicas, com especial incidência para aquelas que visam a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou contribuam para a cadeia de valor dos mesmos e não digam respeito a serviços de interesse económico geral.

Regras e limites à elegibilidade de despesas:

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto no âmbito do presente Aviso é de 25 mil euros.

Para este Aviso de concurso estabelece-se como limite máximo o valor de 1.850 euros para o salário base mensal relativamente aos custos com a contratação de quadros técnicos.

Para as ações de prospeção, captação de novos clientes e de promoção, previstas nas subalíneas i) e ii), da alínea c) do n.º 1 do artigo 51.º do RECI, considera-se elegível a contratação de serviços relacionados com alojamento e deslocação com os seguintes limites para cada ação:

  • Na Europa (UE) - limite de 1.500€;
  • Fora da Europa (UE) - limite de 3.000€.

Na participação em feiras e exposições no exterior, prevista na alínea b) do n.º 1 do artigo 51.º do RECI, considera-se elegível a contratação de serviços relacionados com alojamento e deslocação com os seguintes limites por feira/exposição:

  • Na Europa (UE) - deslocação 700€ e alojamento 250€/nº dias feira+2 dias;
  • Fora da Europa (UE) - deslocação 1.600€ e alojamento 250€/nº dias feira+2 dias.

Formas e limites dos apoios:

Os incentivos a conceder no âmbito deste Aviso são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa de 45%. Os apoios a conceder revestem a forma de incentivo não reembolsável.

Qualificação das PME

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos:

O objetivo deste Aviso de concurso consiste em selecionar projetos que visem ações de qualificação de PME em domínios imateriais com o objetivo de promover a competitividade das PME e sua capacidade de resposta no mercado global. Neste sentido, são suscetíveis de apoio os projetos de reforço das capacidades de organização e gestão das PME, incluindo, o investimento em desenvolvimento das capacidades estratégicas e de gestão competitiva, redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços e a utilização de TIC.

Tipologias:

São suscetíveis de apoio os projetos individuais de qualificação das estratégias de PME que concorrem para o aumento da sua competitividade, flexibilidade e capacidade de resposta ao mercado global, nos seguintes domínios imateriais de competitividade:

  • Inovação organizacional e gestão - introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, estudos e projetos, redesenho e melhorias de layout, ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento, excluindo as alterações que se baseiem em métodos de organização já utilizados na empresa;
  • Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC) – desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado. Criação e ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital que permitam a concretização de processos desmaterializados com clientes e fornecedores através da utilização das TIC (utilização de ferramentas sofisticadas de marketing pelas empresas – inbound e outbound);
  • Criação de marcas e design – conceção e registo de marcas (incluindo a criação de marcas próprias ao nível do produto e da empresa), novas coleções e melhoria das capacidades design, excluindo as alterações periódicas e outras de natureza cíclica e sazonal;
  • Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos – melhoria das capacidades de desenvolvimento de produtos, processos e serviços, designadamente pela criação ou reforço das capacidades laboratoriais, excluindo testes de qualidade dos produtos, protótipos e provas de conceito;
  • Proteção de propriedade industrial – patentes, invenções, modelos de utilidade e desenhos ou modelos;
  • Qualidade – certificação, no âmbito do sistema português da qualidade (SPQ) ou de sistemas internacionais de certificação, de sistemas de gestão da qualidade, ou de outros sistemas de gestão não incluídos nas restantes tipologias e que sejam relevantes para a qualidade dos produtos, serviços, ou processos de gestão das empresas, certificação de produtos e serviços com obtenção de marcas, bem como a implementação de sistemas de gestão pela qualidade total;
  • Transferência de conhecimento - aquisição de serviços de consultoria e assistência técnica, nos domínios da transferência de conhecimentos e certificação de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação;
  • Distribuição e logística – introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística;
  • Eco-inovação – incorporação nas empresas dos princípios da eco-eficiência e da economia circular, com vista a promover uma utilização mais eficiente dos recursos, incentivar a redução e reutilização de desperdícios e minimizar a extração e o recurso a matérias-primas. Inclui a certificações de sistemas, serviços e produtos na área do ambiente, obtenção do Rótulo Ecológico e sistema de ecogestão e auditoria (EMAS).

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em atividades económicas, com especial incidência para aquelas que visam a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou contribuam para a cadeia de valor dos mesmos e não digam respeito a serviços de interesse económico geral.

Regras e limites à elegibilidade de despesas:

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto no âmbito do presente Aviso é de 25 mil euros.

Para este Aviso de concurso estabelece-se como limite máximo o valor de 1.850 euros para o salário base mensal relativamente aos custos com a contratação de quadros técnicos.

Formas e limites dos apoios:

Os incentivos a conceder no âmbito deste Aviso são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa de 45%. Os apoios a conceder revestem a forma de incentivo não reembolsável.

VALE INOVAÇÃO

Próxima fase: 1º Semestre de 2017

Objetivos:

O objetivo deste concurso consiste em selecionar projetos que se constituam em pequenas iniciativas empresariais de PME, resultantes de um primeiro contacto com o SI&I (Sistema de Investigação e Inovação), abrangendo as atividades de consultoria de gestão, assistência tecnológica, consultoria na área da economia digital, consultoria para aquisição, proteção e comercialização de direitos de propriedade intelectual e industrial e para acordos de licenciamento, consultoria relativa à utilização de normas e serviços de ensaios e certificação. Neste sentido, são suscetíveis de apoio os projetos relativos à aquisição de serviços de consultoria de inovação.

Tipologias:

São suscetíveis de apoio os projetos individuais que visem o apoio à aquisição de serviços de consultoria de inovação, nos seguintes domínios:

  • Transferência de conhecimento - serviços de consultoria e assistência técnica, nos domínios da transferência de conhecimentos e certificação de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação;
  • Inovação organizacional e gestão - assistência tecnológica para a introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, redesenho e melhorias de layout, ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento;
  • Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC) – serviços para implementação de modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital que permitam a concretização de processos desmaterializados com clientes e fornecedores através da utilização das TIC (utilização de ferramentas sofisticadas de marketing pelas empresas – inbound e outbound);
  • Criação de marcas e design – aquisição de serviços para a conceção de marcas próprias ao nível do produto e da empresa;
  • Proteção de propriedade industrial - consultoria para aquisição, proteção e comercialização de direitos de propriedade intelectual e industrial e para acordos de licenciamento,
  • Qualidade e Eco-inovação – consultoria relativa à utilização de normas e serviços de ensaios e certificação;

Âmbito Setorial:

São elegíveis os projetos inseridos em todas as atividades económicas.

Critérios de Elegibilidade:

No que respeita ao vale empreendedorismo, para além dos critérios referidos anteriormente, constituem ainda critérios de elegibilidade dos beneficiários os seguintes:

  • Possuir situação líquida positiva;
  • Não ter projetos aprovados nas prioridades de investimento – “Qualificação das PME”;
  • Corresponder a uma empresa com pelo menos 3 postos trabalho existentes à data da candidatura;
  • Resultarem de aquisições a entidades acreditadas para a prestação do serviço em causa, não sendo admitida a subcontratação de outras entidades.

Os projetos que cumpram com os critérios de elegibilidade referidos, são ordenados por data (dia/hora/minuto/segundo) da entrada de candidatura, sendo selecionados até ao limite orçamental definido. Em caso de igualdade, a seleção das candidaturas é efetuada com base na criação líquida de postos de trabalho.

O limite máximo de despesa elegível total por projeto é de 20 mil euros.

Formas e limites dos apoios:

Os incentivos a conceder no âmbito deste Aviso são calculados através da aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa de 75%. Os apoios a conceder no âmbito deste Aviso revestem a forma de incentivo não reembolsável.

Contactos


Escritório: Rua Cruz das Almas, nº3, Escritório 1,
5000-507 Vila Real

Telefone: +351 960 014 273 | +351 912 116 760

Email: geral@solucaomais.pt

Contacte-nos